O Hoteis.com  criou umapraia lista das 20 melhores praias do mundo, todas com certificação de qualidade, onde os problemas e o stress desaparecem por entre a areia fina e as águas transparentes

Praia Miramar, Colima, México
É a melhor praia do Golfo do México, com água límpida e areia branca. Um paraíso para desligar da rotina. O hotel recomendado é o Camino Real Manzanillo.

Ornos, Mykonos, Grécia
Um dos pontos turísticos de eleição do jetset, esta ilha grega tem praias espectaculares e uma incrível vida nocturna. Recomenda-se o Yiannaki Hotel.

Jurerê Internacional, Florianópolis, Brasil
É a primeira praia da América Latina a receber a Bandeira Azul. Um dos destinos mais exóticos do mundo. O hotel recomendado é o Sofitel Florianopolis.

Praia Glicorisa, Samos, Grécia
Com areia suave e água azul, a Praia de Glicorisa fica na ilha de Samos, cenário perfeito para relaxar. O Resort Proteas Blu é o recomendado.

Ler mais...

O avanço da medida estará dependente do regulador da aviação.

A primeira vez que a companhia aérea irlandesa Ryanair lançou a ideia, em 2009, as opiniões dividiram-se entre as vantagens de viajar por valores muito reduzidos e os cépticos que consideram que a medida seria impossível de colocar em prática por questões de segurança. No entanto, Michael O'Leary, presidente da empresa, não desistiu da ideia e insiste em disponibilizar lugares de pé nos aviões, com bilhetes que custarão entre as quatro a cinco libras (4,8 euros a seis euros).

Segundo o britânico ‘Daily Mail', O'Leary garante que em 2011 vai conseguir vender bilhetes a passageiros que viajarem de pé. O plano da Ryanair é substituir as últimas dez filas de cadeiras por 15 fileiras de ‘assentos verticais', que manterão o passageiro de pé, preso por cintos de segurança. O protótipo do ‘assento vertical' é já conhecido e está a ser divulgado no site da companhia irlandesa.

Embora este modelo já tenha recebido a reacção negativa do porta-voz da Autoridade da Aviação Civil britânica, que considera que a companhia terá problemas em colocar esta proposta em prática, tendo em conta que "que está na lei da aviação os passageiros têm de ter cinto de segurança, e por isso de estar sentados", a verdade é que a pretensão da Ryanair surge numa altura em que se colocam em causa questões de concorrência desleal entre companhias, especialmente ao nível dos baixos preços das viagens.

Comissão Europeia terá uma palavra
De acordo com uma profissional ligado à aviação civil, a pretensão da Ryanair não será um assunto que venha a ser resolvido por cada Estado isoladamente. Terá de ser a Comissão Europeia a tomar uma posição sobre assunto. Isto depois de se fazerem estudos sobre a segurança dos ‘assentos verticais'.

O mesmo responsável alerta que esta proposta da Ryanair pode ser tratada como uma questão próxima do ‘dumping', devido aos preços baixos praticados. Já que esta é diferente de outras medidas lançadas nos últimos tempos - como a venda de alguns bilhetes a baixo preço para encher os aviões - que deve ser entendida apenas como engenharia financeira.

A Ryanair lançou um inquérito ‘online' sobre lugares em pé nos seus voos, concluindo que 66% - dos 120.000 passageiros que votaram - optariam por lugares de pé gratuitos. Segundo a companhia avançou na altura, mais de 80 mil passageiros viajariam de pé em voos de uma hora caso a tarifa fosse gratuit. A mesma análise revela ainda que 60% concordaram que aos passageiros de companhias aéreas deveria ser dada a opção de permanecer de pé em voos curtos, tal como sucede em autocarros, comboios e metro.

Google aposta na aviação
O motor de busca norte-americano Google reforçou a aposta no negócio da aviação com a compra da ITA, empresa especializada em informações de voos, por 558,3 milhões de euros. "Quase metade dos bilhetes de avião são vendidos na Internet. Mas, para a maioria das pessoas, encontrar o voo certo ao melhor preço é uma experiência frustrante, pois o preço e a disponibilidade alteram constantemente e um simples itinerário entre duas cidades tem centenas de opções", explica Marissa Mayer, vice-presidente da Google, no ‘blog' oficial da empresa, clarificando que a Google não tem planos para vender bilhetes de avião.

Fonte: Económico