Contrato escrito, seguro contra todos os riscos e verificação do estado de conservação do veículo antes e depois da viagem são obrigatórios para bp 010402102prevenir situações inesperadas.

Em viagens de férias, de negócios ou para substituir o carro que está na oficina, muitas vezes o consumidor é confrontado com o pagamento de serviços ou de arranjos quando recorre ao rent-a-car.

Pesquisa
Faça uma atenta pesquisa de mercado. Confronte tarifas em diferentes empresas de rent-a-car, tendo em atenção que, aos preços anunciados, podem corresponder serviços distintos. Ao visitar os sítios online, compare o que é comparável (por exemplo, carros da mesma gama) e averigue se há extras escondidos. Um bom site deve:

  • referir os seguros incluídos na tarifa de base;
  • dar uma ideia aproximada do tamanho e da capacidade do veículo;
  • fornecer um mapa e o horário para levantar o carro;
  • mostrar as tarifas aplicadas aos extras (como condutores adicionais);
  • permitir que inclua os pormenores do seu voo, para levantamentos ou entregas no aeroporto;
  • não cobrar taxas adicionais por pagamentos com o cartão de crédito.

Recorra apenas a empresas autorizadas. O portal do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) indica quais são.

Ler mais...

Quando tudo o resto falha, a música pode ser a chave para acalmar a ansiedade de passageiros com medo de voar. O Spotify, plataforma de 'streaming' detp 241203301-W300 música online gratuita, fez um estudo e descobriu quais as melhores músicas para ouvir quando entrar no avião.

O estudo foi feito pela psicóloga de ansiedade Becky Spelman, da clínica britânica Private Therapy Clinic, que tem analisado viajantes nervosos. Canções com "low tempo" (poucas batidas por minuto), como a "Someone like you" de Adele, são ideais para acalmar os nervos, diz o estudo. A ansiedade de voar afeta cerca de 25% dos adultos.

"A ansiedade de viajar é causada por pensamentos irracionais, onde a ameaça se torna exagerada e inapropriada. Música que estimula tanto o lado esquerdo da lógica como o lado direito da emoção comprovou estimular o sistema límbico, que processa memórias e emoções negativas, o que ajuda as pessoas a pensar de forma mais equilibrada, racional suprimindo-se desta maneira a ansiedade", explica a psicóloga.

"Quando estamos a ouvir uma música com um número de batidas por minuto mais baixo a um ritmo controlado, a respiração tem uma forte influência em baixar o ritmo cardíaco e a pressão sanguínea, o que reduz a ansiedade", acrescenta o Spotify.

A psicóloga compilou uma lista de músicas e o Spotify lançou a playlist "Calming Music to Fly”, embora só os clientes do serviço Premium possam ouvir as músicas offline dentro do avião (o serviço gratuito requer ligação à internet).

"Someone Like You", da cantora Adele, é considerada a melhor por ter 67 batidas por minuto, aparentemente o "ritmo perfeito para regular a respiração associada ao medo e ansiedade."

Ler mais...

Em caso de necessidade, as Secções Consulares das Embaixadas e os ConsuladosHorse_Related008 Portugueses podem prestar apoio aos viajantes. Esse apoio traduz-se na:

  • emissão de documento de viagem provisório, para situações de extravio de documentação;
  • facilitação do contacto com unidades hospitalares, em caso de acidente ou doença e com advogados em caso de detenção.

A protecção consular não poderá, no entanto, libertá-lo da prisão, pagar as contas do hotel, do médico, do advogado, de viagens ou outras.

Nos países não pertencentes à União Europeia e onde não exista representação consular portuguesa, pode solicitar auxílio junto das Embaixadas e Consulados de outros Estados Membros da União Europeia.

Ler mais...

Muitos portugueses anseiam o ano inteiro pela chegada do Verão e das férias. São meses de planeamento, de escolha de destinos, de delineamento de roteiros. Mas nembp 310305201-W300 sempre tudo "corre sobre rodas" durante os dias de descanso. E porque os azares não escolhem mês nem hora para acontecerem, o Diário Económico seleccionou 13 problemas que podem ocorrer durante as férias de Verão e apresenta-lhe 13 propostas de como pode prevenir ou remediar tais conflitos. E não são tão poucos quanto isso. Só à Deco chegaram no ano passado cerca de 4.400 reclamações e pedidos de informação sobre este tema.

Carla Varela, jurista da associação, refere que uma parte substancial das reclamações que a Deco recebe nesta altura referem-se aos pacotes de viagens, comercializados pelas agências. "Há por vezes uma desconformidade entre aquilo que são as expectativas dos consumidores e as condições com que as pessoas se deparam quando chegam ao local de férias", explica. É o que acontece, por exemplo, com a classificação do hotel. Porque, por exemplo, um hotel de quatro estrelas num país asiático ou na América Latina não segue os mesmos padrões que um hotel de quatro estrelas em Portugal ou em outro país europeu - dado que os critérios de classificação não são uniformes.

Apesar de alguns problemas que continuam a persistir ao longo dos anos, Carla Varela refere que as agências de viagem estão hoje mais atentas e solícitas no que se refere à resolução de conflitos que possam surgir. "A lei europeia é mais exigente e há hoje mais garantias para o consumidor", explica a jurista. Para Carla Varela o principal conselho que os consumidores devem ter em conta nesta altura do ano refere-se ao nível de informação. "Os consumidores, antes de viajarem, devem informar-se o mais possível sobre os detalhes da sua viagem: devem saber se é ou não aconselhável subscreverem algum seguro, que documentos vão necessitar, que cuidados de saúde devem ter em conta no destino de férias e que meios de pagamento devem utilizar", recomenda.

Ler mais...

Os cartões de plástico podem ser a opção certa nas viagens na ZonaTourist_3 Euro, mas, se precisa de outras divisas, pondere as opções de levar notas, comprar cheques de viagem ou subscrever um cartão bancário pré-pago.

A maioria não pensa duas vezes: quando prepara as suas merecidas férias confia plenamente nos seus cartões bancários para obter dinheiro e realizar pagamentos. Se o seu destino de férias é na Zona Euro, não há qualquer problema. Porém, se a sua direcção levá-lo para fora da área da moeda única, prepare-se, porque as suas férias podem ficar até 10% mais caras. Saiba quais são as melhores alternativas para evitar surpresas no seu descanso anual.

1. Precisa de euros? Use o cartão de débito
Cerca de 85% das utilizações de cartões bancários fora de portas, o que inclui levantamentos e pagamentos de compras, são realizadas na Zona Euro, revela Paulo Raposo, responsável da MasterCard em Portugal. Se o seu destino está abrangido nesta área, não se preocupe com o uso do seu pedaço de plástico: os bancos não lhe podem cobrar pela utilização do cartão de débito devido às regras comunitárias, que obrigam que os custos sejam os mesmos em qualquer parte da Zona Euro.

Ler mais...