Introdução
O Zimbabwe vem atravessando desde alguns anos uma grave crise política, económica e social que originou o colapso dos serviços públicos, a quase paralisia do aparelho produtivo e o descontrolo da economia. A constituição recente de um Governo de coligação, englobando a anterior oposição, embora traduzindo um sinal encorajador para o futuro do país, não permitiu ainda resolver a grande maioria dos problemas com que o Zimbabwe se confronta. Para já apenas a inflação foi debelada através do quase completo abandono da moeda local a favor do dólar americano ou do rand sul-africano. As faltas de electricidade e água são ainda frequentes, o sistema de saúde pública está inoperacional, as estradas apresentam sinais de grande degradação e as operadoras de telefone e Internet são pouco fiáveis.

Capital: Harare.
Cidades principais: Harare (1.189.103), Bulawayo (621.742), Chitung-wiza (274.912), Mutare (131.367), Gweru (128.037) (1992).
Religião: cristianismo 42,8% (protestantes 17,5%, adeptos de religiões cristãs africanas 13,6%, católicos 11,7%), animismo 40,4%, outras 16,8% (1980).

Geografia
Localização: sudeste da África.
Hora local: + 5h.
Área: 390.759 km2.
Área de floresta: 87 mil km2 (1995).  

População
Total: 11,7 milhões (2000), sendo chonas 71%, nedebeles 16%, ingleses 1%, outros 12% (1996).

Política:
Forma de governo: República presidencialista.

Condições de segurança
Aconselha-se especial cautela e vigilância aos viajantes, que devem evitar deslocar-se aos bairros periféricos densamente povoados da capital, juntar-se a agrupamentos de pessoas e frequentar bares e discotecas.
Atendendo às degradadas condições das estradas e à sua perigosidade, os passeios nocturnos são totalmente desaconselhados, porque representam um grande risco. No caso de se deslocarem para áreas de safari deverão cumprir escrupulosamente todas as regras de segurança e circular apenas no perímetro que os responsáveis tiverem definido e nas condições que tiverem estipulado. Fora das cidades existem barreiras policiais frequentes nas estradas as quais exigem a apresentação de documentos podendo ser revistados automóveis e respectivos passageiros e haver lugar a detenções mesmo sem motivos aparentemente válidos.
O consumo, posse e tráfico de estupefacientes é ilegal e severamente penalizado. A pena de morte é aplicada para o crime de homicídio e de alta traição. Refira-se que as condições das prisões são extremamente precárias, de todos os pontos de vista (sobrelotação, carência de medidas de higiene e sanitárias, alimentação deficiente).
Os originais dos documentos de identificação e viagem deverão ser guardados em local seguro, como por exemplo o cofre do hotel, recomendando-se aos viajantes que circulem apenas com cópias daqueles documentos.

Regime de entrada e estada
É exigido visto de entrada, que pode ser adquirido nas fronteiras do país.
O custo actual é de $55 dólares americanos.

Aos visitantes, na qualidade de jornalistas, que não tenham obtido acreditação prévia junto do Ministério da Informação do Zimbabué, não será permitida a entrada no país.

Línguas
Inglês, shona e ndebele.

Condições climáticas
Estação seca: Abril-Outubro (melhor altura para visitar).
Estação das Chuvas: Dezembro-Março. O Inverno (Abril-Setembro) pode ser frio, em especial à noite, mas raramente registando temperaturas negativas e só nas montanhas (Vumba e Nyanga).

Transportes
O sistema de transportes públicos é totalmente desaconselhado.
Deverá utilizar-se o avião ou transporte privado. Haverá que ter em conta que é difícil conseguir combustível, em especial fora dos centros urbanos.
Existem aeroportos internacionais na capital Harare, Bulawayo e Victoria Falls.

Cuidados de saúde
A rede sanitária é má em todo o país. Existe um problema de cólera que tem vindo a afectar as principais cidades, incluindo a capital Harare onde se regista um número significativo de casos em diversos bairros da periferia. Precauções especiais devem ser tomadas neste sentido, designadamente em termos de higiene alimentar e consumo de água.
De salientar o recente colapso do sistema de saúde em todo o país, encontrando-se os hospitais encerrados devido a falta de meios e recursos humanos e materiais e não existindo cuidados médicos urgentes nem medicamentos disponíveis. Em Harare ainda se encontram algumas clínicas privadas com bons profissionais existindo contudo uma total carência de especialistas em todas as áreas e sendo o custo das mesmas muito elevado – havendo necessidade de pré-pagamento de avultadas quantias em dólares americanos antes da admissão de qualquer doente, mesmo em situação de emergência médica. Neste sentido aconselha-se aos viajantes a obtenção de um seguro de saúde que cubra custos de evacuação e transporte aéreo para a África do Sul, para onde deverão dirigir-se face a qualquer problema de saúde mais complicado.

Doenças endémicas: cólera, malária, meningite (grupo A e B).O vírus da SIDA afecta cerca de 18% da população, com maior incidência no grupo das mulheres.
Aconselha-se aos viajantes que se façam acompanhar de um kit médico simples, em especial se pensarem deslocar-se a áreas de safari.

Moeda local e Sistema Bancário
Moeda local: Dólar do Zimbabué. De salientar contudo que devido ao colapso da moeda local em finais de 2008, foi recentemente aprovada a utilização de moeda estrangeira pelas autoridades do Zimbabwe (dólar americano e rand sul-africano) pelo que a moeda local não é já utilizada nem aceite em transacções. Os visitantes deverão trazer consigo papel-moeda (de preferência dólares americanos ou rands). A utilização de cartões de crédito é totalmente desaconselhada dados os riscos da taxa de câmbio utilizada pelos comerciantes ter como consequências o pagamento posterior de quantias muito elevadas por qualquer transacção.

Comunicações
Más. Rede de telemóvel cobre apenas e de forma deficiente algumas partes do território.

Contactos úteis
. Indicativo do país……………………+263
. Embaixada de Portugal (Harare).… +263 4 253218
. Polícia…………………………………+263 4 995
. Serviço de ambulâncias…………… +263 4 994
. Urgências.....................................+263 4 999
. Medical Aid Rescue Service…………+263 4 734513

Representação Diplomática: Embaixada de Portugal em Harare

Fonte: http://www.secomunidades.pt/